O ANIMUS AUTONECANDI QUE DÁ DEPOIS DE IR MAL EM UMA PROVA QUANDO SE ESTÁ ESTUDANDO

E aí pessoal! Como estão os estudos?

O papo de hoje aqui no site surgiu num grupo de Whats App de uma das turmas de coaching que orientamos no Curso Clique Juris: aquela vontade de se matar quando vamos mal em um concurso para o qual estamos estudando.

Quem nunca sentiu esse gostinho ou está no início da jornada ou é um ponto fora da curva.

Lembrei-me dos concursos que fiz para Advogado da União e Procurador do Banco Central, realizados em 2009 (ano imediatamente anterior às minhas aprovações na PGF/AGU e DPU).

Lembro bem daqueles concursos: voltei minhas forças para eles pois eu vinha estudando muito forte, e já começava a ir para as provas com um friozinho na barriga maior do que os anteriores (não sei se é assim com todo mundo, mas quando estava sem estudar forte ou ao menos sem expectativa de aprovação, eu ficava menos ansioso do que quando fui para provas achando que daria para passar). Então, eu estava na expectativa de passar, de ter minhas discursivas corrigidas. E assim fui para AU e Proc. BACEN.

Como eu me senti bem fazendo aquelas provas (foram muito próximas)…no dia seguinte, conferindo os gabaritos, tinha mesmo ido muuuuuiiiiito bem em todas as disciplinas, exceto direito processual civil…fala sério! Minha média nas demais disciplinas tinham sido acima da dos aprovados, mas em processo civil…tétrica! Errei muito! E isso me tirou desses dois certames!

Como fazia sempre depois de uma reprovação, vamos catar os cacos, erguer a cabeça e partir para outra. Vontade de me matar era pouco, mas não podemos nos deixar abater pelo fracasso momentâneo. Quem nunca lei na bíblia que o choro pode durar uma noite inteira, mas a alegria vem ao amanhecer?!

Após rever as provas, decidi que tinha que estudar com uma pegada diferente processo civil, e me matriculei numa pós-graduação nessa disciplina. Costumo dizer que você passa em concursos públicos quando você parte para o sacrifício, e estuda muito aquelas matérias que você menos gosta! Sim, porque estudar o que gosta é fácil! Difícil é se dedicar às disciplinas que não gostamos. E assim eu fiz! Acabei passando na PGF e DPU antes de concluir a pós, mas o fato de estudar processo civil com afinco talvez tenha me dado a tranquilidade que precisava para passar.

Moral da história: foi mal numa prova para a qual você vinha estudando forte? Paciência! Não há outra alternativa a não ser ver onde está errando mais e estudar mais essa(s) disciplina(s). O processo de aprovação em concursos público acaba sendo, em alguma medida, um ir-e-vir, uma correção de rumos a cada etapa…corrija seu rumo e alcance a sua aprovação!

Grande abraço, vamos em frente e contem comigo!

Dominoni