Fala pessoal. Como estão os estudos? Com um pequeno atraso, vamos à mensagem dessa semana.

Durante nossa preparação para concursos muitas pessoas ficam estabelecendo algumas limitações: é quase impossível trabalhar 8 horas por dia e estudar em alto nível para concursos! Temos de estudar ao menos “x” horas por dia para passar (e esse “x” varia de 12 a 6 horas por dia), temos de ler vários livros de cada disciplina…enfim…é hora de quebrarmos esses pensamentos limitantes! Isso não existe, pessoal!

A grande maioria das pessoas que passam em concursos de alto nível já estão, sim, trabalhando (normalmente num cargo intermediário) e não estudam 12 horas por dia por muito tempo.

Eu mesmo trabalhava 8 horas por dia e estudava, no mínimo, 3 horas (sim, no mínimo porque a programação eram 3 horas pelas manhãs, e estudar o que desse à noite, após o jantar). E à noite eu sou uma máquina! Trabalho/estudo com facilidade, e fazia isso até dar a primeira “pescada”. Nesse momento era hora de dormir.

É claro que quando estamos na prova oral o ceú é o limite (até porque você tenta dormir mais um pouco, mas a adrenalina não permite). Lembro que colocava o relógio para despertar após 7 horas de sono, mas com pouco mais de 5 horas de descanso já acordava sozinho…é um período muito tenso… mas não mata ninguém…rsrsrs

O grande problema que vejo em algumas pessoas é o seguinte: fazem um planejamento para estudar 4 horas por dia e se acontece algum imprevisto não estudam nada – “ah, só vou ter uma hora para estudar…então, acabou…meu plano do dia está prejudicado e não vou cumprir minhas metas…já era…dia perdido…

Pessoal, principalmente aqueles que têm família para cuidar (as mães à frente!) não podem ter esse comportamento! É claro que temos de cumprir as nossas metas (arrancá-las, lembram? Se não lembra, leia aqui), mas o nosso foco não pode ser no número de horas de estudos por dia, e sim no percentual dedicado aos estudos das horas disponíveis. A meta é ficar próximos aos 100% do tempo disponível. Se o tempo disponível foi das 3 ou 4 horas regulamentares, excelente! Mas se você só teve 2 horas ou 1 hora para estudar, estude!!!! Mesmo que só tenha te sobrado 30 minutinhos, pegue um informativo e leia o que der! O que não pode é ficar um dia sequer sem estudar! E animalizar nos fins de semana pois são fundamentais na nossa preparação. Parte das férias também devem ser dedicadas aos estudos.

Sim, é hora de partir para o sacrifício. Se fosse fácil todo mundo fazia! É difícil, mas compensa no final…todo esforço será muito bem recompensado!!!

Vamos em frente e contem comigo!

Dominoni

Fala pessoal! Tudo bom? Vamos retomar nossas publicações semanais por aqui. As últimas semanas não foram nada boas e não consegui manter a regularidade no site. Mas vamos reiniciar…aliás, reiniciar é um mantra em quase tudo nessa vida…

Bem, o papo de hoje tira algumas dúvidas recorrentes, e vou responder de modo bastante objetivo, na ordem do título da postagem.

Devo fazer resumos?

Por muito tempo na minha preparação eu resumia tudo o que lia. Efetivamente tudo. Resumia livro, informativos, aulas…enfim, tudo! Tenho vários cadernos com resumos de inúmeros capítulos de livros.

“Mas eu só consigo reter a informação se eu escrever!” Sei que muitos de vocês devem estar afirmando isso.O que posso dizer, por experiência própria, é que isso não existe! Nenhum conteúdo resiste a 10 leituras! Leia e releia 10 vezes se necessário for que eu tenho certeza absoluta que você vai reter a informação. Tente compreender. Se não conseguir, decore! O importante é acertar no dia da prova!

Então, respondendo objetivamente à pergunta: devo fazer resumos? Não! O investimento do tempo é muito grande e mesmo fazendo os resumos você deverá reler o que resumiu. E isso leva muito tempo. Assim, indico que você deve sublinhar/destacar o que é mais importante na própria fonte de leitura (seja livro, caderno de aula ou vade).

Ademais, o que todos pensam que devem fazer é resumir conteúdos enormes, quando, em verdade, o movimento é o contrário: comece por conteúdos pequenos, consolide o conhecimento, e vá ampliando, paulatinamente, o conteúdo. Em outras palavras: comecem pelas sinopses/livros de resumos. Depois, somente em algumas disciplinas, passe às leituras mais densas, ok? E, assim mesmo, isso só vai ser necessários em algumas disciplinas, e não em todas. E você vai ter conhecimento do todo. Compreenderam?

O que é efetivamente importante e o que vale a pena, sublinhar ou destacar com marca-texto?

Outra dúvida recorrente: como identificar no texto o que é importante e deve ser sublinhado ou destacado para uma releitura/revisão posterior?

Gente, isso é fundamental! Muitos coachees me dizem que não conseguem identificar o que deve ser destacado e, por isso, destacam tudo ou muita coisa. Vamos a algumas regras:

1. se tudo é importante, nada é importante!

2. na dúvida, não sublinhe!

3. marca-texto são ótimos, mas devem significar necessidade de releitura/revisão, e não para deixar o livro bonitinho.

4. leia o tópico até o fim. Às vezes paramos de ler no terceiro parágrafo e voltamos ao início da leitura. E assim fazemos várias vezes. Leia o tópico até o fim. Quantas e quantas vezes o entendimento está no penúltimo parágrafo… vá até o final. Não entendeu, volte ao início.

Para vocês terem uma ideia, hoje eu utilizo somente a lapiseira. Sublinho o que acho importante. Numa segunda leitura, onde só leio o que está sublinhado, eu apago várias linhas que tinha destacado inicialmente pois, nessa segunda leitura, eu vejo que não eram tão importantes, e que não mereciam a releitura! Se fizesse com marca-texto não dava para apagar. Deixo o marca-texto para algumas expressões inusitadas, ou palavras-chave que vão me fazer lembrar de algum dado fundamental.

Como fazer revisões?

Eu já li diversas técnicas de revisar conteúdo. A única que consegui por em prática com eficiência foi a de revisões-relâmpago diárias e revisões mais profundas trimestrais.

Todos os dias, nos primeiros 15 minutos (ou 30 minutos, a depender do tempo que você tenha de estudos diários – mais de 4 horas diárias = 30 minutos de revisão), releia alguns pontos do que você estudou daquela disciplina no dia anterior. Por exemplo, se você estuda administrativo às terças e quintas, toda terça você vai reler, por 15 ou 30 minutos, o que você destacou na quinta anterior. Toda quinta você vai reler, por 15 ou 30 minutos, o que você destacou na terça anterior. Entendeu? Várias pessoas dizem que não conseguem reler tudo nesses 15 ou 30 minutos – e não é mesmo para reler tudo. É para reler o que der para ler em 15 ou 30 minutos, beleza? O que não der para ler nesse tipo de revisão fica para a revisão trimestral!

As diversas modalidades de leitura

Seguramente vocês já devem ter ouvido falar em leitura dinâmica e as várias técnicas existentes. Eu admiro muito e tenho uma inveja danada da galera que consegue ler assim. Mas eu não consigo. E leio muuuuito lentamente. Tenho uma raiva enorme quando estou lendo a mesma reportagem com minha esposa, que fica pedindo para eu subir a tela do computador pois ela já terminou a leitura… Então, se você acha que é lento para ler, fique tranquilo pois se eu passei lendo devagar, você também vai passar. Eu leio 10 páginas de livro por hora, em média!

Bem, precisamos compreender que a leitura é um processo, e que podemos utilizar alguns artifícios para torná-la mais rápida e efetiva. Assim, busque tentar não ler cada palavra da frase. Tente não ler palavra por palavra.

Outra dica: preste atenção ao que você está estudando, ao conteúdo. Tem gente que é tão tarado que sai lendo desenfreadamente, igual a um doido. Lembro de um colega no cursinho (eu estudava na sala de estudos do curso) e num intervalo, tomando um café no corredor, perguntei qual era o capítulo que ele estava lendo…e ele: “caramba!!!! Não lembro!” Tá fazendo igual a um robô! Fique atento!

Antes de iniciar a leitura, reflita um pouco sobre o que você sabe daquele tema – tente lembrar de algum julgado ou aula que tenha assistido, de modo a fazer brotar na mente as informações sobre aquilo. Você vai tentar prever o conteúdo do texto. Quando você for fazer provas, especialmente as provas discursivas, onde o tempo comporta uma reflexão um pouco maior antes de começarmos a efetivamente dar as respostas – você vai fazer esse processo quase que automaticamente.

Leitura Scanning

Através dessa técnica você vai ler sem verbalizar cada palavra do texto para você. Tente seguir com os olhos mesmo antes de o seu cérebro registrar a palavra para você. Na verdade o registro já foi feito e, no final, você vai ter a compreensão – mesmo porque você já leu aquele texto anteriormente. Essa técnica deve ser utilizada para as revisões diárias.

Leitura Skimming

Esse processo de leitura deve ser realizado na revisão trimestral. Você deve identificar rapidamente o conteúdo principal do texto, ou o sentido geral dele, de modo a poder reavivar na memória o que leu nos últimos 3 meses de estudos. Como temos muitas informações para ler, não dá para manter a velocidade “de cruzeiro” que utilizamos no nosso dia-a-dia. Tem que acelerar!!!

Uma estratégia que funcionava bem comigo era a seguinte: eu lia o título do capítulo e parava 2 minutinhos para tentar ver se lembrava de algum conteúdo daquilo (como indicado acima); começava a ler o que havia destacado do capítulo. Se as ideias começassem a surgir, eu acelerava mais e mais a leitura, de modo a cobrir, com a máxima rapidez, todo o conteúdo necessário.

À medida que o tempo passa e você vai repetindo esse processo sistematicamente, a leitura se torna cada vez mais rápida.

Vamos em frente e contem comigo!