Queridas leitoras e queridos leitores! Como estão os estudos? Tudo certo? Bem, mesmo que você ache que não esteja tudo certo, o importante é estudar o que der para estudar!

O bate-papo de hoje será bem rapidinho, para compensar a postagem da semana passada…que foi, digamos, bem extensa!!!rsrsr

O que te inspira a estudar e seguir firme no teu propósito?

O que te faz transpirar para chegar no teu objetivo?

A resposta a essas duas perguntas são ferramentas poderosas para que você levante mais cedo da cama amanhã, e siga firme no propósito da tua vida.

Gente, falo especificamente para aqueles que têm mais idade, pois para esses as coisas ficam mais difíceis…eu sei bem disso! Passei com 38 anos e, salvo engano, só havia 1 colega dentre os mais de 380 que foram fazer o Curso de Formação de Procurador Federal com mais idade do que eu. É uma garotada reluzente, que está no vigor da juventude, e a concorrência com nós, coroas, é desigual. Como ainda não há cotas para “pessoas de meia idade”, então, temos de parar de mi mi mi e partir pra cima com vontade.

Todos os dias quando acordava, ao ficar sentado na cama, já dava de cara para um cartaz: TUDO POSSO NAQUELE QUE ME FORTALECE! Ficava na altura dos meus olhos, na parede ao lado da minha cama (num apartamento de 55 m² a parede lateral do quarto fica quase colada na cama…os entendedores entenderão….kkkk). Nesse momento eu olhava para minha amada Kátia e levantava com mais força! Na volta para meu local de estudos, outro cartaz: VOU PASSAR!!!!! Esse ficava na minha frente, na parede sobre a bancadinha de estudos. Isso te lembra que você tem um propósito e que essa caminhada somente irá parar com a aprovação no concurso desejado!

Mesmo tendo uma grande força de vontade e uma mentalidade vencedora, há momentos de muito desânimo. Nessa hora, busque o que te inspira, no meu caso, QUEM me inspirava eram minha esposa, meu filhinho de pouco mais de 4 anos, minha mãe … enfim, todas as pessoas que sofrem com nossa ausência quando temos de nos afastar deles para ficar no nosso cantinho, isolado de todos, estudando! Lembrava deles e prosseguia.

Você já ouviu falar que passar em concurso público é 1% de inspiração e 99% de transpiração? Pois é! Ainda que não seja exatamente essa a proporção, o que me fazia transpirar era a insatisfação com o cargo que ocupava e a vontade de exercer um cargo público relevante! Não que o cargo que eu exercia antes não tivesse relevância…não me entendam mal, pois sei que a área de apoio é fundamental e a valorizo muito. Mas o que eu não queria mais era produzir intelectualmente e entregar para outra pessoa assinar, entendem? Lembro de um Promotor Eleitoral, quando soube que eu deixaria o TRERJ para ir para a AGU, indagando acerca do salário do Procurador Federal, ele me perguntou o porquê de eu não fazer prova para servidor do MPRJ, que pagava bem. E eu, educadamente, o disse: para que não ocorra mais isso, Dr. – ontem fiquei fazendo esse trabalho que o senhor assina. Eu quero subscrever minha produção intelectual! Ele sorriu e me desejou sucesso na nova carreira!

Essa é uma outra ferramenta poderosa para que você prossiga rumo ao teu desejo: lembre-se do que te faz transpirar.

Por fim, eu quero que você faça o que chamo, desde menino, de viagem mental: Imagine-se no dia da tua posse, colocando o vestido/terno, arrumando a família, entrando no local da sua posse, todos te cumprimentando, você entrando com sua esposa, seu marido, seus filhos (eu já tinha 2 quando tomei posse), sua mãe, seus irmãos e demais parentes (até teu cunhado vai estar agradável nesse dia…rsrs) … e o olhar orgulhoso da sua esposa, do seu filho…nossa, só de lembrar me dá vontade de voltar a estudar novamente para concursos…quem sabe, né?!

Vamos em frente e contem comigo!

Dominoni

PS.: Se você gosta das postagens que faço, curta, compartilhe, comente e marque seus amigos. Divida esse conteúdo com outras pessoas que tem as mesmas angústias que você! Me dê uma sugestão de temas para as próximas semanas. Eu sempre tenho uma boa história para contar, afinal, foram muitos anos!!! rsrsrs

E aí pessoal! Como estão os estudos?

O papo de hoje aqui no site surgiu num grupo de Whats App de uma das turmas de coaching que orientamos no Curso Clique Juris: aquela vontade de se matar quando vamos mal em um concurso para o qual estamos estudando.

Quem nunca sentiu esse gostinho ou está no início da jornada ou é um ponto fora da curva.

Lembrei-me dos concursos que fiz para Advogado da União e Procurador do Banco Central, realizados em 2009 (ano imediatamente anterior às minhas aprovações na PGF/AGU e DPU).

Lembro bem daqueles concursos: voltei minhas forças para eles pois eu vinha estudando muito forte, e já começava a ir para as provas com um friozinho na barriga maior do que os anteriores (não sei se é assim com todo mundo, mas quando estava sem estudar forte ou ao menos sem expectativa de aprovação, eu ficava menos ansioso do que quando fui para provas achando que daria para passar). Então, eu estava na expectativa de passar, de ter minhas discursivas corrigidas. E assim fui para AU e Proc. BACEN.

Como eu me senti bem fazendo aquelas provas (foram muito próximas)…no dia seguinte, conferindo os gabaritos, tinha mesmo ido muuuuuiiiiito bem em todas as disciplinas, exceto direito processual civil…fala sério! Minha média nas demais disciplinas tinham sido acima da dos aprovados, mas em processo civil…tétrica! Errei muito! E isso me tirou desses dois certames!

Como fazia sempre depois de uma reprovação, vamos catar os cacos, erguer a cabeça e partir para outra. Vontade de me matar era pouco, mas não podemos nos deixar abater pelo fracasso momentâneo. Quem nunca lei na bíblia que o choro pode durar uma noite inteira, mas a alegria vem ao amanhecer?!

Após rever as provas, decidi que tinha que estudar com uma pegada diferente processo civil, e me matriculei numa pós-graduação nessa disciplina. Costumo dizer que você passa em concursos públicos quando você parte para o sacrifício, e estuda muito aquelas matérias que você menos gosta! Sim, porque estudar o que gosta é fácil! Difícil é se dedicar às disciplinas que não gostamos. E assim eu fiz! Acabei passando na PGF e DPU antes de concluir a pós, mas o fato de estudar processo civil com afinco talvez tenha me dado a tranquilidade que precisava para passar.

Moral da história: foi mal numa prova para a qual você vinha estudando forte? Paciência! Não há outra alternativa a não ser ver onde está errando mais e estudar mais essa(s) disciplina(s). O processo de aprovação em concursos público acaba sendo, em alguma medida, um ir-e-vir, uma correção de rumos a cada etapa…corrija seu rumo e alcance a sua aprovação!

Grande abraço, vamos em frente e contem comigo!

Dominoni